quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

BBB no Divã: A ciência a serviço do ’BBB’

Do Jornal Extra OnlineEnviado por Marcelo Arantes - 21.1.2010 | 7h30m

A ciência a serviço do ’BBB’

Enquanto observo os confinados e seguindo a tendência de agregar novos micos, digo, recursos tecnológicos ao “BBB” (como o sensor com leitura de calor na câmera do confessionário que ninguém entendeu), sugiro:

1) Detector de novas regras: essencial antes de provas de resistência, prevê se a regra será mudada na manhã seguinte.

2) Etiquetador para identificação de estereótipos: saiba, antes mesmo de entrar, a que tribo será rotulado: belos, coloridos, sarados, cabeças, ligados, ex-BBBs, acreanos, blogueiros, abajures e mais 47 modelos de etiquetas padrão.

3) Rastreador de antimerchandising: impede que você pronuncie a toda hora o nome dos principais concorrentes de marcas patrocinadoras do programa.

4) Identificador virtual de alma gêmea: garante encontrar sua alma gêmea em até cinco dias, ou seja, detectar mais alguém interessado em fingir um romance para não jogar sozinho.

5) Sensor Re-BBB: revela precocemente qual seu potencial de entrar novamente em locais onde sequer deveria ter entrado.

6) Anulador de bom senso: com ele você poderá realmente se tornar caricato, engraçado, polêmico, irreverente e, quem sabe, finalmente famoso.

#hit
Ainda é cedo para se prever o resultado, mas a abordagem arejada dos assuntos ligados à homossexualidade em horário nobre inaugura um avanço sem precedentes na história da TV brasileira.

#fail
O discurso elitista-quasepreconceituoso-chic de Lilian Pacce: “Nivel baixou no #spfw: BBB no #Aleherchcovitch”. Depois consertou, ou quase: “adoro a Grazi. uma flor no pântano”.

Passe o sal, por favor.

Elenita diz ter dupla personalidade: “Elenita”, centrada, e “Lena”, a menina tatuada feliz. Na última terça, Bial comparou-a à pipoca, não por ser um prato gorduroso, mas por esperar que não vire piruá. A palavra pipoca vem do tupi: pi = couro e poca = estourar. Elenita ainda é milho, só não pode se perder na panela.

Um comentário:

Walney disse...

First: bom, n sei pq gosto de ler as colunas q vc escreve, pq eu n entendo o q vc realmente quer dizer. Entendo algumas coisas, mas não tudo.
Desde qndo vc estava lá dentro eu acompanhava o seu blog na globo.com, mas msmo lá já naum entendia, rssss
Mas, assim vou seguindo, quem sabe algums dia tenho o prazer de te conhecer e te entender um pouco.
Um Forte Abraço.